segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Quando começou a confusão Umbanda x Espiritismo!

Ainda sobre a postagem anterior, onde contei sobre o caso de um taxista que se intitulou "espírita" quando na verdade era umbandista! Claro que todo efeito tem uma causa, pois o taxista do post em questão não é o único que se intitula espírita quando na verdade bater tambor louvando caboclo e preto velho! 

Então pesquisei sobre o tema na rede e conclui que pode ser (além de vergonha) mais uma questão cultural. Acompanha meu raciocínio:

Em mil novecentos e antigamente eram proibidas as práticas espíritas devido ao charlatanismo, pois nessa época (ainda hoje existe, né?) muitas pessoas se aproveitavam dos mais inocentes ou desesperados prometendo milagres em troca de dinheiro! Sendo que a falta de informação aliada ao preconceito dificultava o trabalho das casas espíritas. 

Em 1930, o presidente da FEB (Federação Espírita Brasileira) conversou com Getúlio Vargas e mostrou pessoalmente para o então presidente o que era o espiritismo, que entendeu e liberou legalmente o funcionamento dos centros espíritas! 

Nessa época a Umbanda já havia sido fundada pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas através de Zélio Fernandino de Morais, e também sofríamos perseguição pois éramos confundidos com praticantes de magia negra e feitiçaria! (Alguma semelhança com o presente!?)

Quando Getúlio autorizou o funcionamento dos centros espíritas, os terreiros de umbanda adotaram em seu nome "CENTRO/TENDA ESPÍRITA" para poder funcionar legalmente. Além disso, passaram a adotar TUDO que lida com espíritos como ESPIRITISMO! O resultado é a confusão que se faz até hoje!

O fato é que ESPIRITISMO é uma coisa e UMBANDA é outra. São duas religiões diferentes, mas com algo em comum: a CARIDADE! 

"Porque fora dos preceitos da verdadeira caridade, o espírito não poderá atingir a perfeição para a qual foi destinado. Tendo-a por norma, todos os homens são irmãos e qualquer que seja a forma pela qual adorem o Criador, eles se estendem as mãos, se entendem e se ajudam mutuamente." 

Fontes: 
CENTRO DE ESTUDOS ESPÍRITAS VINHA DE LUZ - LONDRINA / PR 
Canal youtube Yeah (Canal sobre espiritismo)

sábado, 16 de janeiro de 2016

Canais sobre Umbanda no Youtube! (recomendo)

Hoje vim aqui compartilhar com vocês alguns canais de Umbanda no youtube que acompanho!

Se inscreva nesses canais e aproveitem o tanto de informação sobre Umbanda que eles compartilham!

O Jovem Umbandista (Ederson Melo)




Umband'boa (Marcio Klain)




Canal Umbanda T7 (Adérito Simões)




Em breve posto os vídeos no canal do Blog! Então, cliquem na aba vídeos no menu lá em cima e se inscreva no meu canal também! :)










quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Sou espírita ou Umbandista????


Estava em um taxi e observei os fios de conta preto e vermelho do taxista pendurado em seu espelho retrovisor. Conversa vai, conversa vem, até que ele diz: "Sabe moça, eu sou espírita..." - Não deixei ele continuar o que ia falar e perguntei: "O senhor é espírita do candomblé ou umbanda?", ele engasgou e respondeu: "Umbanda!".

Pra que engasgar? Pra que esconder? Pra que ter vergonha? Por que não dizer SOU UMBANDISTA ao invés de "sou espírita"? 

Fiquei pensando sobre isso e conclui que as pessoas tem medo do que os outros vão achar! Será que se eu disser que sou umbandista, vão pensar que faço macumba para os outros? Será que se eu falar que sou umbandista vão pensar que saio colocando despachos em encruzilhadas? Será que isso? Será que aquilo?

Pra que o medo, meus irmãos?

Lutamos tanto para difundir uma doutrina própria de amor, caridade e doação! Se existem pessoas que acabam com a imagem da umbanda se dizendo umbandista e 'arriando' galinhas mortas pelas encruzilhadas, o problema é deles!!! Infelizmente, não possuímos uma federação que vá atrás dessas pessoas para que não permita eles usarem o nome da umbanda! Mas não é por isso que vamos ter vergonha de quem somos! 

Dizer que você é espírita agride menos, né? Parece algo mais branco, né?

É claro que todo umbandista é espírita! Acreditamos nos espíritos, acreditamos na reencarnação, acreditamos no plano espíritual e seus ensinamentos. OK! Mas quando alguém esconde que é umbandista, na maioria das vezes é VERGONHA!

Eu não tenho nada a ver com o preconceito do outro! Não estou nem aí que vão pensar que faço magia negra ou coisa do tipo! Isso não me pertence!

Sou Umbandista, sim! Danço ao som do tambor, sim! Minha religião cultua NEGRO, sim e se você soubesse como esses negos ensinam sobre a vida, ia querer "empretar" também! 

Raiane Carné

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Meta (nada clichê) para um novo ano



Este fim de semana o sol deu uma trégua aqui no Rio de Janeiro e se escondeu um pouco, dando possibilidade de refrescar o tempo. Então, eu decidi ir à praia! - Ué? Decidiu ir à praia sem sol? - Sim! Não existe nada melhor para refletir do que estar à beira mar, com um vento fresco no rosto e praia vazia! O que é impossível quando se está sol aqui no RJ.

Eu precisava olhar pra frente e descobrir como encarar esses novos 365 dias de páginas em branco que vinham pela frente. Pensei no que eu quero ser e cheguei a conclusão que quero ser uma pessoa mais calma, uma médium exemplar perante os guias que me assistem, uma boa filha e uma pessoa que faz a caridade por mim e não somente através dos guias. 

Entenda bem: Quando você diz que está fazendo a caridade no momento que está incorporado, você está enganado e se iludindo! Quem está prestando a caridade é o GUIA! Afinal, quem está ajudando o consulente é ele, certo? Você está ali somente para emprestar seu corpinho! É muito fácil vestir uma roupa branca e incorporar uma entidade! Mas eu lhe pergunto: O que VOCÊ, através de você mesmo, está fazendo pelas pessoas ao seu redor?

Questionei a mim mesma o tempo todo em minhas reflexões na praia. O que eu faço pelos outros? Claro que através da mediunidade estamos ajudando também... mas isso não basta! Precisamos fazer por nós! Sozinhos, acordados, na condição de encarnados! - Pense comigo: de que adianta seu guia, através do seu canal mediunico ajudar 100 pessoas e você ignorar aquela velhinha com dificuldades de atravessar a rua! Ou você ver uma pessoa deixando cair um dinheiro na calçada, não avisa-lo e ainda pegar o dinheiro pra você ou ainda um vendedor te dar o troco errado para um valor maior e você não devolver!? De que adianta o guia que você incorpora ajudar os outros, se a sua conduta fora do trabalho mediunico é digna de desgosto perante à eles? - Fique alerta nas situações mínimas do dia-a-dia para fazer o bem!

Bom, esse ano eu quero fazer diferente! Quero fazer por mim! E você? Temos 365 novas oportunidades de fazer o bem ao próximo! Estou viva! Preciso me sentir viva! Me doar, doar meu tempo! Portanto, esse ano a meta não será emagrecer, pois estou feliz com o meu corpo do jeito que ele é. Também não será arrumar um namorado, pois sou feliz demais no amor! A meta é ME DOAR!

Comecem o ano repetindo a sábia e famosa frase: "Fora da caridade não há salvação!"

E então, vamos nos doar!?

Feliz 2016!

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Feliz ano novo, de novo!


Se eu pudesse listar tudo que aprendi nesse ano de 2015, ficaria aqui escrevendo até pelo menos Junho de 2016. Foi um ano incrível de aprendizados! Aprendi mais sobre vida, espiritualidade e sobre o meu mais profundo eu. Talvez o mais difícil nisso tudo, seja aceitar esse tal verdadeiro eu exatamente como ele é e não como criamos uma expectativa do que queremos ser e, dessa forma, fugindo da minha essência.

Em Dezembro de 2015 completou 1 ano que eu aluguei uma casa para dar continuidade ao trabalho mediúnico que eu realizava no centro! (clique aqui para ler o que me motivou a fazer isso) Foi 1 ano de muita reflexão! Para fazer um trabalho como esse, precisa ter muito o pé no chão do que realmente se quer... pois a verdade é que quando se aluga um espaço para trabalhar com guias, a tendência é que isso vire um centro! Pessoas irão conhecer, se identificar com a filosofia, o modo de trabalho e amanhã já tem um ou dois querendo se juntar a você e no final das contas temos mais um terreiro nascendo! 

Só que eu sou uma pessoa um pouquinho difícil (como já falei em algumas postagens!), comigo o buraco é muito mais embaixo! Não faz o menor sentido para mim, me desligar de um centro onde eu não tinha dor de cabeça com nada no sentido de gerenciamento, para simplesmente aos 28 anos, sem a ordem dos meus guias, me aventurar em abrir uma casa! Só que as pessoas me assustaram TANTO, falando que iriam chegar pessoas lá e iriam ficar se "estribuchando dando santo" ou pegando obsessor, que iriam chegar carregadas e eu ia pegar todo o carrego (como se em um centro você não estivesse sujeito a isso) e que iriam acontecer milhões de coisas e eu não saberia o que fazer! :o E o engraçado disso tudo, é que as pessoas falam como se eu estivesse fazendo algo sem consultar a quem realmente importa que é o plano espiritual. MAS ENFIM NE!

Para vocês entenderem: eu tive duas mães de santo na vida, uma que me iniciou na umbanda, acompanhou o meu desenvolvimento mediúnico, me deu os assentamentos e coroou meus guias, e a recente, que me juntei a ela por partilhar as idéias e pensamentos filosóficos e por, principalmente, me deixar extremamente livre! - Essa, sempre me deu muita força para realizar o trabalho sozinha, pois acredita que umbanda é a manifestação do espírito independente de lugar e se os guias estão prontos para isso, se eu tenho espaço para fazer, ela acha que eu tinha mais é que fazer mesmo, me deu todas as autorizações, seguranças e forças para isso. Já a primeira que apresentei para vocês, não deu tanta força assim, aliás, não deu nenhuma força... pois, resumindo as horas e mais horas de  todas as conversas, ela disse que eu precisava ser mãe de santo para isso e zé fini!!! 

Olha, foram LONGOS meses até eu mesma me convencer de que eu não estava fazendo nenhuma loucura. Nunca fiz! Mas também entendi que eu precisava de um tempo para colocar as idéias no lugar. Ter segurança e firmeza no que estava fazendo. Ter total sintonia com os meus guias para que nada de ruim acontecesse tanto comigo, quanto com os assistidos por eles. Eu precisava também de um empurraozinho, na verdade... até que um dia, uma leitora do blog me procura querendo saber onde era a minha casa, pois queria se consultar com os meus guias e esse empurraozão fez toda diferença. Lá fui eu peregrinar para Nilópolis, depois de 2 meses sem atender ninguém, tomar meu banho de ervas cheirosas, limpar e arrumar tudo, sentir a fumaça da defumação e sentir meu guia me abraçar... eu não tinha saído de forma! Eles ainda estavam lá por mim e, como tudo deve ser, ditaram todas as regras para que eu me sentisse segura! Afinal, quando se tem guias, pra que insegurança?

Contudo, esse ano aprendi que independente de estar filiada à uma casa, serei eternamente uma filha de pemba... um pouco rebelde, eu sei... mas do mesmo jeito que sempre prezo pela liberdade, aprendi que os guias também são livres e vamos juntos nessa jornada! Descobri que só se sai de uma casa de santo, se ela sair de você... então eu nunca vou sair dessa casa, pois ela estará para sempre em mim como base e raiz... a mãe que me iniciou, será sempre minha mãe e eu sempre serei a filha rebelde, que saiu para ganhar o mundo e lutar por uma umbanda do jeito que idealiza! E nessas andanças, encontrou outra mãe para agregar novos ensinamentos, aprendizados e reforçar o espírito livre que sou!

Há muitas moradas na casa do pai! E onde se há amor e se pratica a caridade, sempre cabemos lá! 

Obrigada 2015.

Raiane Carné

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Como receber o visitante no seu terreiro


Na maioria das vezes, um visitante procura um terreiro quando deseja ajuda espiritual ou para alguma causa material. Buscam o centro de Umbanda muitas vezes, após esgotados os outros recursos e, por isso, concentram ali a esperança para a resolução de seu problema. Cada visitante chega de um jeito: alguns mais tímidos e retraídos, outros com a aflição estampada no rosto, outros mais à vontade, outros bastante curiosos, enfim, são infinitos trejeitos que reparo assim que pisam na casa.

Na minha idéia de centro de umbanda perfeito (hehehe), todo centro deveria deixar no portão um médium obreiro afim de dar boas vindas e fazer com que, logo de cara, o visitante sinta-se acolhido. Mas também entendo a correria pré-gira, a nível de organização, concentração e uma lista enorme de tarefas a se fazer para a preparação da sessão, quase sempre impossibilitando o remanejamento de um médium especificamente para essa função.

Mas todo e qualquer tarefeiro do centro pode (e deve) acolher um visitante em seu terreiro, com atitudes simples e leveza ao lidar com o outro.

À começar pelo sorriso! O sorriso é um início bem sucedido do envolvimento de um assistido com a casa. Ao sorrir, você está acolhendo e recepcionando o visitante de modo agradável. Diga sorrindo: "Seja bem vindo e fique a vontade!"

Fale pouco e ouça mais: Lembre-se que você faz parte de uma religião de doação! Doe um pouco do seu tempo para ouvir às aflições do assistido que procura sua casa. Ouvindo, você ainda pode ser útil encaminhando para o atendimento específico para o auxílio no problema que ele acabou de lhe contar. Não se envolva no problema ou caso que ele está lhe contando, deixe isso para as entidades que irão atende-lo.
Convide para os eventos, em caso de jovens ou pessoas mais antenadas, convide para ficar atento às redes sociais, enfim, convide o visitante para os eventos e o informe sobre o calendário de atividades. O estimule a convidar outras pessoas. Afinal, o objetivo da Umbanda é ajudar pessoas, certo?

E no caso dos curiosos, responda a eventuais dúvidas, informando, sucintamente, sobre a casa e as suas tarefas. Porém, caso as dúvidas se estendam para meras curiosidades, apresente a um responsável da casa (pai/mãe pequeno(a), dirigente, subdirigente, etc) e passe o visitante para quem saberá identificar e solucionar a curiosidade com educação. Educação sempre!

Saiba, também, reconhecer o momento de se afastar, pois todo mundo é diferente e alguns convidados podem apenas querer ficar em silêncio. Não ache que os visitantes mais reservados ou quietos não estão gostando ou não estão confortáveis. Algumas pessoas são mais reservadas por natureza ou naquele momento querem ficar introspectivas. Respeite isso!

Enfim, receba o visitante do seu terreiro com generosidade, simpatia, brandura e segurança. Seja um trabalhador envolvido e comprometido com a sua casa. Tenho certeza que os guias de luz irão vibrar com esse pequeno detalhe, mas que se torna grandioso perante a espiritualidade!

Raiane Carné

A pior doença mediúnica: Mistificação (Por Cristina Alves)

Em toda casa espiritual pode ocorrer o mal da mistificação, oriundo muitas vezes de um animismo exagerado, ou mesmo da vaidade e ganância de alguns médiuns.

O próprio contexto da palavra já é pesado: Mistificar – ludibriar, enganar, mentir, tirar proveito, embuste, farsa.  Com certeza médiuns idôneos não possuem tais características. 

A mistificação é um mal considerado grave perante o espiritual. Porque causa danos tanto para quem pratica quanto para quem é vitima de suas maquinações, atingindo tanto o plano espiritual quanto o plano físico.

Um ato controverso para quem afirma amar sua fé.

O que o médium mistificador se esquece que ele mistificando está manipulando, brincando com forças espirituais, podendo despertar ataques e obsessões graves para sua vida.

Muitas vezes o médium está com problemas pessoais, está desequilibrado sem condições de estar trabalhando dentro da corrente, e por pura teimosia ou mesmo para não se sentir depreciado pelos demais ou deixado para trás insiste em estar na ativa dentro da corrente.  Acreditem há muito ego com alguns médiuns.

Devido a sua queda energética, falta de uma boa concentração, e até mesmo por sentimentos não condizentes, acabam por provocar um estado de extremíssimo animismo, ele se sente o guia, mas o guia não conseguiu realizar o acoplamento devido a tanto carrego com este médium, e é ai que ocorrem alguns problemas. Não existe meio termo nesse caso, médiuns nesse estágio conseguem representar até um certo ponto, os guias chefes percebem de imediato o problema, e podem ou corrigir de imediato ou apenas deixar que o próprio médium se perca no decorrer de sua representação. Vamos elucidar esse ponto de uma forma mas clara.

A MISTIFICAÇÃO ANTES DE SER NÍTIDA PARA OS OUTROS PRESENTES JÁ SE FAZ NÍTIDA PARA O PRÓPRIO MÉDIUM, isso é um fato. O Médium quando perceber que está vacilando, errando, deve se centrar, colocar a cabecinha no lugar, ter humildade e se redimir perante seus guais e mentores e pedir PERDÃO. Porque caso ele insista no erro, irá estar criando uma bola de neve que toma um tamanho escomunal destruindo tudo por onde passa, o médium é essa bola de neve, que quando chegar no limite, irá se romper diante de um obstáculo maior em força que ele. Esse obstáculo é a Ordem Espiritual Suprema que irá por um basta em suas atitudes, e esse médium angariara para si apenas mais dívidas e débitos a serem pagos. A mediunidade é uma dádiva no cumprimento da caridade, não podemos esquecer que envolve nisso VERDADE.

É preciso ter valores espirituais e mediúnicos, humildade, seriedade, honestidade. Que adianta mentir estar incorporado, isso é uma vergonha, ficar ali fingindo, chegando o cúmulo do absurdo de ficar sem saber o que fazer, ficar olhando para o lado e copiando o outro do lado, ou se sentir o Tocha Humana e ir querer manipular fogo e botar fogo em si mesmo. Por favor né, vamos ter mais respeito pelos nossos guias e ancestrais, colocar a cabecinha no lugar e levarmos nossa fé com mais respeito e dignidade.

E sabem qual é a maior das causas A VAIDADE, o querer APARECER, O QUE NÃO SE É.

Pessoal, o tema mistificação é muito abrangente, e mesmo o melhor médium em um momento de fragilidade, de deslize pode vacilar e ser vitima dessa doença espiritual.

Vivemos em um mundo difícil, cheio de tentações, tribulações, um médium pode vacilar quanto a seus cuidados e vigilâncias, e deve ter a honestidade de se redimir perante o erro, procurar se evangelizar, se corrigir para que dessa forma, fortaleça seu elo para com seus guias e mentores, ganhando o amparo e força tão necessários nesses momentos.

Não estamos aqui para julgar, mas sim orientar, não é porque um médium cometeu um deslize que irá estar condenado, não é assim. Os médiuns podem sim fracassar, mas podem recomeçar.

Espero que essas reflexões possam trazer esclarecimentos e reflexões sobre esse assunto tão importante dentro de nossos terreiros.
Cristina Alves
Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira.

Blog Oriá Essência divina

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

O que fazer ao visitar um terreiro de umbanda?

Você decidiu visitar um terreiro de umbanda? Legal! Então se atente à alguns detalhes fundamentais para não cometer nenhuma gafe e respeitar o lugar em que você irá visitar.

1. Com que roupa eu vou?

Vá com uma roupa leve, de cor clara e lembre-se que você está indo em um TEMPLO SAGRADO, então evite shorts, saias curtinhas, decotes, roupas transparente e decotadas. Mas A maioria dos centros de Umbanda pedem pra tirar os sapatos pra ir até o gongar e aí imagina você com aquela sandália super difícil de calçar, com mil e uma presilhas. Portanto vá com um calçado confortável, para que na hora do passe ou consulta, facilite você colocar e tirar. 

2. Horários

Procure chegar no horário de início para conseguir participar da abertura da gira e se conectar com a egrégora ali formada. Chegando no horário você consegue participar das orações que precedem o trabalho, dos cântigos de abertura e, assim, tenho certeza que a sua consulta será muito mais bem aproveitada. - Falo por experiência própria!

3. Respeito

Ao entrar em um terreiro de Umbanda, RESPEITO! Ali é uma casa sagrada, portanto respeite cada canto. Por exemplo, alguns centros permitem fumar em alguma área da casa, então se você fuma, procure se informar se ali é permitido fumar e em qual área! Não saia acendendo o cigarro, ok? 

Não fale alto, faça silêncio durante os trabalhos. O silêncio é oração! Enquanto você espera a sua vez de tomar um passe ou se consultar, fique em silêncio, pensando em coisas boas ou apenas medite, esvazie a mente, mas nada de ficar de conversinha fora de hora. Para isso, muitos centros fazem intervalo durante a gira.

4. Educação

Não fique reparando o local! Muitos centros são simples e humildes, enquanto outros são extremamente luxuosos. - A verdade é que nada disso importa! O que importa mesmo é a assistência e caridade que o centro presta. Então não fique reparando de canto de olho cada canto da casa. Não fique perguntando o que é cada coisa ali, apenas para saciar sua curiosidade. Se existe algum elemento em algum lugar, é porque assim foi determinado e pronto, não cabe à uma pessoa de fora ficar perguntando sobre! Portanto, antes de fazer uma pergunta, avalie se é pertinente ou é apenas uma curiosidade superficial.

5. Durante a consulta com a entidade

Primeiramente, se concentre no seu atendimento. Foque no objetivo que levou você ali e evite falar sobre 1 milhão de assuntos com a entidade, fale do que realmente é relevante. Lembre-se que, assim como você, tem uma fila de pessoas esperando para conversar com o guia que está lhe atendendo! Achou a consulta ruim no seu ponto de vista? A entidade não está falando nada com nada? Agradeça à entidade e se retire educadamente! Nada de arrumar confusão ou tirar satisfação com entidade ou médium. Podem existir "N" motivos para isso acontecer, mas faça a sua parte e busque outra entidade para conversar em um outro dia.

6. Gratidão

Ao ir embora, agradeça mentalmente ou pessoalmente (se houver oportunidade) ao guia chefe daquele terreiro por ter lhe recebido. Ele irá receber o seu sentimento de gratidão, onde ele estiver!


Umbanda é humildade, caridade e amor! Preencha o peito com esses sentimentos e vá, mas não se esqueça de respeitar como qualquer templo sagrado! Os Orixás agradecem e os guias espirituais também!

Raiane Carné

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Minha visita ao Templo de Ogum


Eu já fui diversas vezes à essa casa e gostaria de ir sempre que possível, pois não tem como ir ao Templo de Ogum e não sair feliz! Aliás, a energia é tão boa que ao passar da porta já sou tomada por uma sensação de felicidade e ao subir às escadas do sobrado, vou sentindo o acolhimento espiritual presente neste centro! 

Eu gosto sempre de falar em acolhimento, pois é algo que sempre observo ao visitar alguns terreiros de Umbanda. E este acolhimento precisa ser dos espíritos que ali trabalham em prol da comunidade e dos médiuns frequentadores. Afinal, de que adianta sentir a energia emanada pelos espíritos, mas se deparar com médiuns de cara feia e parecendo estar ali de má vontade? - Isso é algo que não acontece no Templo de Ogum Makinde, a assistência é sempre acolhida com sorriso no rosto e satisfação. É lindo ver a Umbanda acontecer ali!

Sempre recomendo essa casa aos amigos que buscam um centro sério para trabalhar ou se consultar. Então agora recomendo aqui! Se você busca uma casa séria, com dirigentes comprometidos e energia boa, vá conferir e sentir você mesmo:

Templo de Ogum Makinde
Rua Conde de Bonfim, 1393 - Sobrado - Tijuca
Dirigentes: Tadeu Soares e Silvania Coutinho
Contato: https://www.facebook.com/Templo-de-Ogum-Makinde-518367591675069/?fref=ts

Fui a algumas sessões, mas não tem como esquecer a festa de pretos velhos realizada em Maio/15 e é claro que eu tive que registrar!




















Conheça meu trabalho em:
www.navizalafotoefilme.com.br


domingo, 27 de dezembro de 2015

Balanço 2015



Querido diário,

Com essa mensagem, resumo o final de 2015. Foi um ano bastante confuso onde muitas coisas aconteceram na minha vida pessoal, profissional e espiritual! Mas encerro 2015 persistente, cheia de vontade de fazer a diferença em 2016. 

Gostaria de postar mais no blog, mas devido a tantos acontecimentos, foi impossível postar. 

Só posso dizer que hoje me vejo mais madura, mais paciente e mais confiante no tocar do trabalho para frente. Mas não foi sempre assim, o caminho foi longo e ainda está sendo... acho que a diferença é que agora a consciência de que nada nesse mundo pertence a mim se faz presente: Nem o tempo, nem as decisões... no que se trata de trabalho espiritual quem manda são os guias e por isso se chamam GUIAS, para GUIAR!

Entreguei, ainda mais, meu caminhar espiritual na mão deles. Eles sabem o que estão fazendo e o que estiver ao meu alcance, eu também vou fazer.

Resenha de Filme: Causa e Efeito


O filme tem uma produção precária e com uma "cara" de livro espírita. Eu sou suspeita para resenhar porque nos primeiros 20 minutos de filme fiquei me ligando nos detalhes técnicos, mas quando me dei conta disso parei de atentar à produção e procurei me atentar à história do longa. 

O filme poderia ser melhor e isso é fato, mas para quem está procurando um filme com um contexto espírita ele é ótimo. 

Paulo é um ex-investigador de polícia, que perde o filho e a esposa em um atropelamento. Descrente da vida, se junta a um político inescrupuloso e passa a ser um "justiceiro". Quando é obrigado a matar Madalena - a amante grávida desse político - Paulo descobre o quanto estava enganado. Foge com ela para o interior, onde mora seu tio Epaminondas, que é espírita e tem como melhores amigos um padre e um pastor médico. O trio de velhinhos fazem valer algumas gargalhadas no filme e eles mostram com bom humor que se pode haver amizade e convivência harmônica entre religiões diferentes!

Em desdobramento, Paulo reencontra-se com sua esposa, com seu filho e com o motorista que os atropelou. Neste encontro lhe é revelada uma encarnação anterior, que explicaria as causas dos sofrimentos atuais. 
O filme faz pensar e talvez essa tenha sido a idéia dos idealizadores. Talvez com um pouco mais de grana, eles tivessem conseguido fazer uma produção melhor. No todo, recomendo assistir. :)

domingo, 4 de janeiro de 2015

Como Reconhecer uma Casa de Umbanda?


Podemos ter a Umbanda como a “Manifestação do espírito para a prática da caridade pura, e em todas as suas formas”, assim como disse o Caboclo das Sete Encruzilhadas.Portanto, por essa definição visualizamos o verdadeiro sentido dessa religião.

As Casas, Tenda, Templos, Centros, Terreiros que tem a pura essência de Umbanda são aqueles:

· Onde se fala em Deus;
· Onde se prega a palavra e os ensinamentos de Jesus Cristo;
· Onde se fala da Filosofia e Doutrina Espírita ditada por Allan Kardec;
· Onde se pratica a Caridade;
· Onde se dá valor a Simplicidade e Humildade;
· Onde não há cobrança, pois espíritos não precisam de dinheiro ou barganha;
· Onde não há matança (corte) de animais, pois matar animais, que são filhos de Deus, não é fazer caridade e, matar um animal, perante Deus, é como matar qualquer ser humano;
· Onde se prega a Fé;
· Onde se prega o Amor;
· Onde se prega o Conhecimento;
· Onde se prega a Justiça;
· Onde se prega a Lei;
· Onde se prega a Evolução;
· Onde se prega a Vida.

Locais onde não se fala em Deus, Kardec, Jesus, onde há cobrança e matança (corte) de animais e onde são feitas coisas sem devido conhecimento, através da superstição, colocando o medo nas pessoas que freqüentam, esses locais não podem ser considerados detentores da Essência de Umbanda e devemos alertar para a sua periculosidade espiritual.

Esses locais por terem baixo teor vibracional, tendem a ser freqüentados por pessoas e espíritos de baixa moral (já que semelhante atrai semelhante), devem ser evitados, com o risco de se ter, através das leis espirituais da “ação e reação” e do “Karma”, sérios danos às pessoas, não só no aspecto Financeiro, como Moral e Espiritual.

Por isso... Cuidado! Estude, Conheça, Pesquise, se Informe...

Umbanda é Caridade, Umbanda é Paz, Umbanda é Amor!

Paz e Luz a todos os Umbandistas! Saravá!

* Estou muito longe de ser o dono da Verdade, e não quero ditar regras pra ninguém... mas continuo defendendo a Essência de nossa Querida, Amada e Sagrada Umbanda... Viva Umbanda!!!

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Dica: Sal grosso e arruda !


Vim correndo dar essa dica pra vocês, porque ainda dá tempo de virar o ano sem "ziquizira"! 

Ganhei da minha mãe um sabonete artesanal de arruda com sal grosso! Gente, o cheirinho é maravilhoso, sem contar com o poder desses dois elementos! Entretanto, o que algumas pessoas desconhecem é que o sal grosso além de descarregar as energias ruins, também leva as boas! Ao menos dessa forma eu aprendi e confirmei em diversos lugares. Sempre me foi recomendado tomar um banho de ervas após para energizar e equilibrar as boas energias!

Por esse motivo é bem raro eu utilizar o sal grosso em banhos, pois sempre preferi o descarrego com ervas. Mas esse sabonete artesanal é incrivelmente cheiroso e como o sal grosso também funciona para purificar o ambiente, nada melhor do que ele com a arruda para energizar a minha casa e sem contar que o cheirinho foi longe !!! 





















Como minha mãe comprou apenas um e também queria usar, nós partimos ele ao meio e ela levou pra tomar banho hoje. E aí eu fiquei analisando a minha banda do sabonete, analisando as folhinhas de arruda dentro dele e vi que elas estavam meio secas, ou seja, seu sumo passou para o sabonete! Gente! É quebra de olho gordo NA CERTA !!!

Descobri que essa loja vende vários sabonetes artesanais "místicos", como o de rosas também! Imagina a delícia de tomar um banho e, além de ficar cheirosa, sair com a energia das pétalas de rosas! Demais ! :)


Vale a pena experimentar !  

Loja: Aroma e Etc
Rua São José, nº 35 – Quiosque 28. Centro – RJ


www.aromaeetc.com.br

Espero que tenham gostado da dica! Feliz ano novo, até 2015 !!!

Filha de Pemba

Obs.: a utilização desses sabonetes não substituem um banho de sal grosso e ervas preparado corretamente! Em caso de dúvida, converse com o seu sacerdote. 

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Praticando a Umbanda sozinha - o início da minha caminhada fora do terreiro!


Quem me conhece sabe que eu sou uma pessoa dificíííílima! Reconheço que sou esquisita, sou exigente e meio bipolar! O bipolar é brincadeira, mas falando sério, se tem uma coisa que eu SEMPRE levei a sério, foi o trabalho com a Umbanda! Sempre levei a Umbanda como um compromisso com o próximo que vai em busca de um auxílio espiritual e eu, ali, me via como um meio de intermediar a ajuda para nossos irmãos que procuravam o centro.

Infelizmente, nem todos levam a Umbanda tão a sério assim e esse fator sempre me incomodou bastante ao fazer parte de um GRUPO mediúnico! Algumas pessoas fazem o terreiro de CLUBE! Estão mais preocupados em fazer amizades, ficar de conversinha de canto e semear fofocas, do que, de fato, TRABALHAR em prol do irmão que procura o centro em busca de ajuda! Sem contar com os "falsos-médiuns-profetas": aqueles que a cada gira precisam contar e se vangloriar de fenômenos que o seu guia fez - "Meu guia contou a vida da consulente toda e eu nunca tinha visto a mulher na minha vida" ou então "Você viu o que meu guia fez? O consulente chegou com dor nas costas e meu guia curou!!!" - Lembramos que a caridade deve ser anônima! Ficar se vangloriando com os feitos da espiritualidade não é legal para a evolução espirital e ainda corre-se o risco de ter a mediunidade suspensa ou pior, ter o seu guia de luz, que trabalhava incansavelmente, substituído por um belo KIUMBA!!!

Infelizmente são coisas que temos que conviver por fazer parte de um terreiro ou grupo mediúnico. Tendo consciência disso, sempre tive o sonho de praticar a Umbanda sozinha. - "Epa! Peraí! Como assim sozinha??? Nao podeeeee! Tem que ser em um CENTRO! Tem que ter mãe de santooooo". - Aí eu pergunto: Por que??? 

Reflete comigo: Qual é a maior causa das pessoas se afastarem de suas casas? Fofocas, intrigas, etc. Essas coisas não pertencem ao bom astral! Os espíritos do bem só querem trabalhar e o que o ser humano faz? Vai pro centro ficar de fofoca! Vai para o centro semear coisas ruins! E como falei no início do post, eu sou uma pessoa complicada! Gostaria MUITO de assistir à tudo isso e simplesmente ignorar, vestir meu branco e dar continuidade ao trabalho como se nada estivesse acontecendo ao meu redor, mas eu não consigo ver e me omitir. (E entendo que isso também faz parte da minha evolução)

Quando uma pessoa diz que se afastou de um centro de Umbanda por causa de fofocas: "Mas tooodo centro tem fofoca"! Gente, isso tá errado! Isso não deveria ser normal e as pessoas comentam como se você fosse obrigada a conviver com isso porque todo lugar tem! Não! Não sou! Até porque tem gente que gosta de um enredo! Se vocês repararem no centro de vocês, geralmente a fofoca começa na maioria das vezes pela MESMA pessoa (ou pelo mesmo grupo de pessoas). Assistir a isso sem que a fonte ou o grupinho seja punido é inadmissível pra mim.

Com o passar dos anos eu fui adquirindo dentro de mim um sonho de praticar a Umbanda de um modo diferente. Prestar atendimento mediúnico a quem precisasse e fazer a caridade sem que, quase que semanalmente, ouvisse uma fofoca nova.

Depois de algum tempo refletindo essa idéia, tive a oportunidade de conhecer o trabalho que duas pessoas, também cansadas dessas coisas desnecessárias, resolveram fazer. Eles se reúnem em um determinado dia do mês e atendem com seus pretos-velhos os consulentes. Fui lá e conversei muuuuito com o preto velho de um deles. O trabalho é simples, leve, direto... Estou relatando isso aqui, pois devem existir mais pessoas que fazem isso !

Então, depois de muito pensar, ponderar, conversar com os guias que me acompanham, eu resolvi me desligar da casa a qual fazia parte e iniciar o trabalho sozinha. Não é fácil! A idéia é muito mais simples do que a prática! Pois eu moro em apartamento e não poderia fazer isso na minha residência - até porque eu defendo a idéia que residência é um lugar para MORAR e não gostaria de misturar as coisas. - Então a espiritualidade me forneceu uma casa incrível para começar esse trabalho, porém fica a quase 1 hora e meia de onde moro! Mas alguém falou que seria fácil?

Bom, meu trabalho sozinha já começou e estou indo bem devagar. Alivia saber que as forças espirituais estão conspirando para tudo dar certo e isso dá um super gás!

Essa nova fase só está começando e eu sei lá onde isso vai dar... de tudo, só sei que sou eternamente aprendiz... Sinto falta de muita coisa que deixei pra trás, mas sei que foi melhor assim ! 

Sigo em frente aprendendo, buscando uma vida mais leve e dentro dos ensinamentos umbandistas! Essa busca por ser uma pessoa melhor nunca para! Eu tropeço, erro, mas procuro aprender com tudo! Ainda bem que eu tenho esse diário pra desabafar!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Se Eu Sair do Terreiro os Guias Vão me Perseguir ?


Compartilhando o texto maravilhoso do Pai Géro! Creio ser o Pai Géro Maita, mas está assinado somente como Géro. Bom, se for do Maita só reforça minha admiração pelo seus textos e palestras. 

O tema acima abordado gera ainda nos dias de hoje muita discussão, pois escutamos de alguns irmãos que visitam nossa casa que foram em determinado centro e infelizmente o dirigente desta casa lhes informou que “sua vida estava andando para trás, pois seus guias haviam se voltado contra o mesmo por ele ter abandonado o terreiro”, isso quando esta informação parte de pessoas ditas trabalhadoras de centros Umbandistas. Isso infelizmente mostra que falta dentro de nossa religião, estudo, doutrina e acima de tudo BOM SENSO.

Quando falamos sobre “guias de Umbanda” podemos de forma simples nos referir a “trabalhadores do mais alto” que militam na lei de Umbanda e que se até nós se dirigem, isso se dá para que também nós possamos aprender e evoluir.

Não podemos tropeçar na vida e desejarmos ensinar alguém a andar, o que desejo dizer é que estes espíritos sejam da linha a que pertençam, são seres de luz, evoluídos e associar “vingança” aos mesmos é algo totalmente fora de cogitação, mostrando total despreparo do médium ou dirigente que desta forma se refere aos guias, como se eles fossem espíritos ignorantes.

Nós como seres em evolução ainda associamos um terreiro como “uma tenda de milagres” onde depositamos nossos problemas nas mãos dos guias e esperamos que eles resolvam aquilo que é de nossa responsabilidade o que de forma alguma existe.

Movidos pelo nosso ego ferido e orgulho quando percebemos que toda mudança externa requer talharmos nossos defeitos interiores procuramos um culpado para fugirmos desta responsabilidade e o guia, o terreiro e o dirigente sérios sempre pagam o pato.

Nos afastamos e nossa vida não anda pra frente simplesmente porque nosso interior está em desajuste e enquanto não arrumamos isso, as coisas tendem a dar errado. Lembramos aqui da lei de afinidade e nossos inimigos por questão de vibração se ligam a nós atuando para que tudo a nossa volta de errado e no afã de nos desviar de um caminho de luz, nos levam a casas onde impera a indisciplina e o comércio do sagrado, onde dirigentes e muitas vezes médiuns despreparados atuando dentro de um animismo nos informam que “nossos guias estão fechando os nossos caminhos” atraindo-nos para uma armadilha onde se desenvolverá um grande processo obsessivo.

Meus irmãos o guia não vem em terra para resolver problemas de ninguém, pois nós devemos aprender a sermos responsáveis pelos nossos atos. A função de um guia é “orientar” e não “assumir” e militando dentro da lei e da justiça divina jamais nos prejudicariam, pois os mesmos aprenderam a respeitar a lei do livre arbítrio. Acreditar que um guia de lei nos prejudicaria é menosprezarmos os fundamentos sagrados de nossa Umbanda.

Guia de lei não lhe persegue, o que lhe persegue é sua consciência.
Guia de lei não lhe prejudica, o que lhe prejudica é sua ignorância espiritual.
Guia de lei não fecha os seus caminhos você joga fora as oportunidades que lhe são ofertadas.
Guia de lei não facilita as coisas, tudo o que conquistamos vem de nosso esforço e merecimento.

Esperamos ter contribuído para o esclarecimento de todos e encerramos este texto com as palavras do saudoso CABOCLO MIRIM: Umbanda é coisa séria, pra gente séria.

Com votos de muita luz a todos.
Pai Géro Sacerdote de Umbanda



Considerações pessoais: Uma vez estava conversando com uma irmã pelo facebook e falei sobre essa questão do "Guia de lei" e ela não levou muito na boa. Pois, na época, ela dizia que estava sendo cobrada dia e noite para que entrasse para o terreiro! Essa cobrança vinha em forma de incorporação desregrada dentro de casa. Eu tentei explicar que guia de luz não faz isso e que essa "cobrança" era o próprio desejo e consciência que era o momento de entrar pra roda. - Fui bloqueada minutos depois! rs

sábado, 27 de dezembro de 2014

Balanço 2014


Um ano de aprendizado, emoções, muito trabalho, escolhas, rompimento e transformação! Posso dizer que foi um ano bom! Aprendi que tenho que aprender... 

Fui testada ao meu limite! Vivi um conflito interno entre meu lado racional e emocional! Se fosse hoje, faria tudo diferente... sorte que estamos em um plano terrestre para isso mesmo! Aprender e fazer diferente! Viver e aprender... 

Após três meses, apenas refletindo meus erros e acertos, volto a engatinhar... A sensação de orfandade é como um vazio em uma colina alta. E assim sigo... escalando a colina, carregando na mochila o sonho de uma doutrina perfeita, de uma religião sem sem vaidade, sem fofoca, sem barganha, sem mistificação... mas não vou cruzar os braços, vou apenas fazer a minha parte! 

Afinal, tive certeza que não estou só! Sei que em muitos momentos eles apenas me observam e sei que não interferem nas minhas besteiras para que eu aprenda com minhas escolhas erradas! E de tudo, o que mais quero é dar orgulho a quem me guia (meus guias)... por isso, quero levar para 2015 todo o meu aprendizado e um compromisso com a minha verdade, porém expressada de um novo jeito.

Em 2014 ficarão pessoas que me marcaram de uma forma profunda e acredito que nem o tempo será capaz de apagar dos meus pensamentos... dói muito! Mas acredito na força do mar!

Feliz ano novo para todos os amigos e leitores do blog !

domingo, 28 de setembro de 2014

UMBANDA GRÁTIS


Quando eu vi no facebook "Umbanda GRATIS", cursos, e-books, textos... pensei opa! É disso que estou falando...

Entrei no site e me identifiquei de cara, até porque é usado o mesmo layout do construtor de sites onde criei o do Projeto Avivar Umbanda. rs Um mero detalhe perto dos textos logo na página inicial. São ótimos e vou colar um agora mesmo aqui! Aí vai:

"Quando falamos de UMBANDA, falamos de HUMILDADE, CARIDADE E AMOR, falamos de Umbanda Grátis. Ser Umbandista não é ser umbandista dentro de um terreiro ou uma tenda. Ser umbandista é uma escolha e forma de vida. Quando falamos de religião falamos de um único conceito de Jesus: "Amai ao próximo como a si mesmo e a Deus acima de todas as coisas". Esse conceito de Jesus, propõe uma única e exclusiva religião universal que se aplica a todas as religiões praticadas por nós homens.

A sua religião deve ser praticada em seu dia-a-dia, deve fazer parte do seu pensamento constantemente para que você consiga atingir seu propósito maior que é a sua evolução moral e espiritual.

Caridade não se pratica somente dentro do terreiro, caridade se faz a todo momento, dar um simples ouvido a uma palavra de um amigo ou desconhecido angustiado, é de grande amparo caridoso para aquela pessoa. Por tanto viva a caridade, viva a Umbanda e verá a Umbanda viva dentro de você e tudo que ela tem para te proporcionar."

Caridade é ter um site disponibilizando conteúdo online grátis ! Apoio muito essa idéia !


Obrigada ao idealizador por compartilhar links tão úteis ! Aguardo ansiosamente pelos cursos ! 

Eu continuo sempre em busca do estudo... e por aí eu vou descobrindo coisas como essa que fazem meu dia mais feliz !

Abraços fraternos !

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Vou seguir andando por aí...


Querido diário,

A sensação de liberdade me deixa feliz. No fundo eu sempre soube que nasci para ser livre. Nunca consegui ficar presa a dogmas ou regras que desregram quando convém! 

O tempo mostra quem é quem. De tudo, a única coisa que sei, é que confio em mim! Apenas em mim! 

Como diz Chorão, não posso deixar que os desequilibrados abalem a minha fé... mas não subestime minha inteligência ! Ela me foi dada junto ao meu discernimento ! Graças à Nzambi, eu sempre soube discernir bem minhas escolhas !

Isso basta pra mim. 

Vou seguir andando por aí... 

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

I Encontro do Projeto Avivar Umbanda


Foi tudo lindo demais ! O sol estava brilhando, sentamos ao redor das comidinhas e começamos a papear sobre Umbanda! 

Passamos a manhã nos conhecendo, aprendendo com a história de vida do outro, ouvindo histórias de fé, de amor à Umbanda. Falamos sobre mediunidade, desenvolvimento mediúnico, a importância do estudo e encerramos contemplando a natureza!

Pessoas queridas, unidas por um propósito maior que é a busca por conhecimento. 

A proposta do projeto se cumpriu ! Uma BELA pausa no cotidiano, uma manhã intensa de amor à Umbanda, amor ao próximo, bate-papo gostoso e eu ainda aqui sem palavras pra descrever tudo que senti ao ver um sonho se realizando ali naquela mesa montada na grama do Bosque da Barra.

Minha gratidão à todos que participaram! O próximo já tem data marcada e será tão especial quanto o primeiro ! :)

Vejam o filminho com um pouquinho do que teve ! (não pude filmar muito... mas no próximo prometo um filmão!)


APOIO:





sábado, 30 de agosto de 2014

Ser Dirigente Espiritual é Fácil? (por Cristina Alves)

Esse texto abaixo foi escrito por uma zeladora, sobre a difícil tarefa de ser uma dirigente de terreiro. Que isso não é fácil todos sabemos e eu, como filha de santo, tento o MÁXIMO compreender a minha zeladora. As vezes é dificiiiiiilimooooooo... mas eu tento muito, JURO! :o


Segue o texto:

Muitas vezes me pego a refletir sobre isso, e fico observando as pessoas, dentre elas médiuns e consulentes e eu acho que as pessoas pensam que ser dirigente é um parquinho de diversão. Pois acreditem não é não, o dirigente lida com espíritos encarnados e desencarnados, lidar com o ser humano não é fácil. É as cobranças do dia a dia, a rotina, as responsabilidades da vida pessoal, família, trabalho mais as responsabilidades espirituais, obrigações, preceitos, aplicação de disciplina, doutrina e mais e mais.

As pessoas chegam no terreiro, tudo bem organizadinho, limpinho, não faltando nada, o dirigente sempre muito cortês e amigável, que maravilha. Mas se ele um dia estiver de pá virada, ah que dirigente mal educado, o dirigente estava calado, o pai e a mãe estavam emburrados, mas ninguém parou para pensar do porque o dirigente aquele dia não estava bem. 

Certa vez me perguntaram você tem saudade de quando você era uma filha de santo, eu disse nunca deixei de ser, mas sinto saudades do tempo em que não tinha tantas responsabilidades.

Todo mundo pensa que paciência e tolerância deva ser infinita, confesso que tenho bastante, para mim como dirigente sempre é muito difícil ter que retirar um filho de santo da corrente e dizer um NÃO, mas infelizmente alguns médiuns parecem que gostam de testar essa tolerância de seus dirigentes.

Um dirigente lida constantemente com espíritos e podem ter certeza que os espíritos não gostam de brincadeiras com eles, e eles cobram dos dirigentes doutrinas e posturas. Tem médium que chega no terreiro, parece que está numa pista de corrida, numa competição de quem incorpora primeiro, o espírito está uns dez metros de distância e ele já está lá na frente do altar, saracoteando, e o guia fica ali olhando de longe, só observando, extremamente anímico e muitas vezes chegando ao absurdo de uma mistificação e dá-lhe caras e bocas.

O que muitos nem suspeitam é que muitas vezes o dirigente na sua rotina do dia a dia se depara lá com um guia, e o mesmo lhe diz olha fulano, olha o que está fazendo, cobra a orientação e a doutrina. Ou vocês pensam que os guias não se posicionam em relação a certas condutas. Isso é claro quando o zelador tem o dom da vidência.

Outra coisa que precisa ser esclarecido porque muitos tem uma visão bem errônea a respeito, o terreiro É DO PAI DE SANTO, NÃO é SÓ DO PAI DE SANTO, é de TODOS. Tem filho que acha que o dirigente tem que ficar correndo atrás dele avisando do que precisa e do que não precisa para o terreiro, vejam isso não é obrigação do dirigente é OBRIGAÇÃO DOS FILHOS DE SANTO, muitas vezes o dirigente avisa, para ter mais facilidade na organização, mas vamos deixar claro que isso não deve ser visto como regra.

E o dirigente de forma alguma pode ficar ABORRECIDO. Se ele ficar ele não PRESTA MAIS.

Fora que existe aqueles filhos POSSESSIVOS, o TERREIRO É SÓ DELE E DE MAIS NINGUÉM, boicota a própria casa afastando as pessoas da mesma com o mal tratamento e a descortesia.

Aí um dia o dirigente está na rua passeando e encontra aquela pessoa que não está indo mais na casa, e conversa vem e conversa vai, ai sai a PÉROLA, desculpa mas adorava seu terreiro mas deixei de ir devido a MÁ EDUCAÇÃO DE FULANO, e o dirigente NÃO PODE FICAR BRAVO, SENÃO ELE NÃO PRESTA. 

Gente as vezes eu acho que deveria haver estágios como há nas empresas para alguns filhos de santo, deixar certos filhos de santo, como zeladores por uma semana, só para que eles sintam como é ser um DIRIGENTE, pode ter certeza muitos não passariam de um dia.

DIRIGENTE ESPIRITUAL TEM FÉRIAS?
Não. Não tem. Só se ele desligar o celular, o telefone, e viajar sem dar endereço.
Mas se ele fizer isso ELE NÃO PRESTA MAIS...

Por isso pessoal, ser dirigente espiritual exige DOAÇÃO, AMOR, FÉ, CARIDADE E MUITA VONTADE E PRAZER EM SE CUMPRIR SUA MISSÃO, caso contrário muitos ficam no meio do caminho, DESISTEM, se desgostam, fraquejam ou simplesmente optam por não sofrer mais. Conheci dirigente que simplesmente abandonaram a missão devido ao desgosto de lidar com o ser humano.

Muitos falarão falta de AMPARO ESPIRITUAL, nem sempre. Muitas vezes as próprios guias respeitam o livre arbítrio do dirigente percebem que aquele dirigente não está tendo forças para cumprir essa missão.

A missão de dirigente é muito bonita, é lindo ver um guia nascendo em suas mãos, aquele médium que nunca incorporou ter o sopro do guia através dos guias chefes do seu terreiro, ver aquele caboclo, aquele preto velho chegando e trazendo suas bênçãos, não tem preço que pague essa sensação e gratificação.

Mas ser dirigente, pode ter certeza, NÃO É LOUVOR, GLÓRIA, é uma sina, uma missão, muitos tentaram mas poucos chegarão no final.

Seu dirigente espiritual é um bom dirigente? Você o admira? Você tem amor por ele? Então faça por merecer sua mão sobre sua cabeça, e tenha respeito, amor e consideração.

Por Cristina Alves
Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira.
Seu Blog · Design por Alves Alvin · Todos os direitos reservados - Copyright © 2014 · Tecnologia do Blogger